Flavia Gamonar tem 36 anos, nasceu na cidade de Bauru no estado de São Paulo e está a frente da empresa FG Educação Corporativa desde 2016.

Não é possível resumir o seu trabalho em apenas uma função, pois ela é professora de pós graduação, treinadora corporativa, consultora, empreendedora, palestrante e escritora e nessa entrevista compartilha conosco um pouco da sua carreira empreendedora.


Conte-nos um pouco da sua história?

Fui funcionária até 2015. Nessa época comecei a escrever artigos no LinkedIn e passei a me conectar com diversos convites e oportunidades profissionais. As pessoas gostavam do que eu escrevia e isso foi crescendo. A demanda se ampliou e 8 meses depois de ter iniciado na última empresa como gerente de marketing, pedi demissão para abrir minha empresa, cujo foco e modelo foram se ajustando nos últimos anos para ser o que é atualmente. Já atendemos mais de 18 mil profissionais e grandes empresas dentro e fora do Brasil com consultorias, palestras, treinamentos e aulas. 

Como e/ou porque você decidiu trabalhar por conta própria?

Eu sempre fui empreendedora, desde os 17 anos já tinha me aventurado criando um site para ensino de idiomas, depois tentando vender roupas e doces. Eu queria poder realizar meus projetos e tirar ideias do papel.

Como é a sua rotina de trabalho?

Varia entre aulas em universidades, consultorias para pessoas e empresas, treinamentos para empresas, criação de conteúdo e palestras, em home office, in company ou no meu escritório. Geralmente não trabalho pela manhã, resolvo coisas pessoais e a tarde/noite trabalho nos projetos

Qual foi a sua maior dificuldade?

O medo de pedir demissão, de dar passos maiores, de lidar com a instabilidade do empreendedorismo, há meses em que há muitas demandas e em outros, menos.

Como o seu mercado mudou desde que você começou?

Vejo que as pessoas estão buscando se desenvolver mais e as empresas investindo em seus colaboradores no desenvolvimento de competências e habilidades. Por isso a demanda tem crescido bastante. Novos temas e necessidades surgem sempre.

Olhando para trás o que você faria diferente?

Acho que faria como fiz, porque acredito em começar e seguir aos poucos, refinando o modelo, testando, aprendendo. Penso que tudo aconteceu na hora certa e eu fiz uma transição como funcionária, deixando meu emprego quando me senti mais segura para avançar.

O que você mais gosta no seu trabalho?

De poder conhecer pessoas diferentes, não ter tanta rotina, gostar do que faço, fazer o que acredito, ter liberdade e flexibilidade de agenda e ser bem remunerada.

Quais seus planos para o futuro do seu negócio ou de sua carreira?

Na carreira, concluir uma pós que estou fazendo, dar mais palestras fora do brasil e fazer algum curso ou intercâmbio fora, logo que possível. Para a empresa, diversificar temas trazendo novos parceiros

Um conselho para quem deseja trabalhar com produtos digitais?

Ser honesto, ético, pensar em algo realmente relevante para as pessoas, não apenas querer vender a todo custo virando um guru que só fala de números e ostentação de estilo de vida. Falar sobre o que realmente sabe, se especializar, saber aonde se mete e com quem anda. É um caminho mais longo, mas mais duradouro.

Conheça o trabalho

www.fgeducacao.com.br

Você também pode gostar: